Saiba como cuidar do seu incrível Peixe Betta Splendens

Conheça as curiosidades desse peixinho!

O Peixe Betta Splendens – Esse é certamente um dos preferidos quando pensamos em Peixes ornamentais. Mas como cuidar de um? De onde ele veio? Vamos responder agora!

Se você quer um aquário incrível colorido, e que chame a atenção, no entanto, não tem muita experiência – comece pelo Betta!

Digamos que a beleza deste Peixe, e a demanda por cuidados menos exigentes são fatores importantes para os aquaristas de primeira viagem decidirem por ele.

De fato, não é complicado manter esse Peixe, no entanto, ele tem uma característica que o torna um exclusivo, ele gosta de ‘brigar’.

Exatamente por isso, você precisa ter cuidado ao montar um aquário com esse Peixe e outros.

Aproveite e clique em inscrever-se em nosso canal no YouTube, acesse aqui.

Enfim, vamos falar mais sobre isso e sobre outros detalhes deste peculiar peixinho colorido, confira nos seguintes tópicos:

  1. Qual é a origem do Peixe Betta?
  2. Como descrever fisicamente um Peixe Betta
  3. Como cuidar do Betta em aquários?
  4. Ele é conhecido como Peixe de Briga Siamês
  5. Qual a melhor alimentação para um Peixe Betta?
  6. Principais doenças que um Peixe Betta pode desenvolver

Qual é a origem do Peixe Betta?

O Betta splendens é provavelmente um dos Peixes mais vistos dentro dos aquários brasileiros. Eles são belos, variados e incrivelmente graciosos.

Esses peixinhos tiveram sua origem no Sudeste da Ásia, em países como a China, Indonésia, Vietnã e Tailândia.

O Betta, apesar do pouco tamanho, possui muitos apelidos por causa do seu temperamento um tanto agressivo.

Ele também é conhecido como “Peixe de briga” e “Peixe combatente” e seu nome varia de lugar para lugar.

Diferente de muitas espécies, o Betta se adapta facilmente em qualquer ambiente em que é colocado.

Muitos vivem em ambientes alagados, brejos, pântanos e lugares com baixa quantidade de oxigênio.

Ele é considerado um dos Peixes mais bonitos que vivem em água doce. Em toda a natureza, 65 Peixes já foram classificados como Betta.

No entanto, essa variedade se dá pelos criadores que foram aprimorando e tentando criar novas espécies com as características fenotípicas que desejavam.

Engana-se quem pensa que esse peixinho é criado apenas para fins ornamentais. No Brasil, por exemplo, eles vêm sendo utilizados como controle biológico de mosquitos.

No Pernambuco e no Ceará eles vêm sendo usados para o combate de mosquitos como o da dengue e Culex quinquefasciatus.

Como descrever fisicamente um Peixe Betta

Em sua forma natural, ou seja, livre em águas doces, o Betta apresenta uma coloração discreta, um pouco acastanhada.

Essas cores servem de certa forma para camuflá-lo na vida selvagem e suas barbatanas, tem tons de azul e vermelho menos impactantes que os Peixes de aquário.

No geral, existem cerca de 25 cores desse peixinho e diversas variações de formatos podem ser encontrados para um Peixe desta espécie.

Eles possuem belas nadadeiras e corpo colorido com vários reflexos metálicos e iridescentes espalhados.

A espécie mais comumente encontrada é o Betta splendens, a coloração de cada uma é o que define as linhagens.

As cores de cada linhagem podem ser: vermelhas, amarelas, azul com vários tons como o royal, metálico e esverdeado e preta.

As nadadeiras também diferenciam as linhagens, as caudas podem ser: Redondas, em véu, cauda dupla, super delta, crowntail e halfmoon.

Uma característica desse Peixe é sua capacidade de viver em ambientes com baixo oxigênio. A espécie possui órgãos conhecidos como labirintos.

Esses órgãos permitem a troca de oxigênio com o sangue, fazendo com que haja uma difusão, por isso sobrevivem com pouco oxigênio. No entanto, não sobrevivem em águas poluídas.

Como cuidar do Betta em aquários?

Um Peixe Betta não exige tantos cuidados, pois eles são extremamente resistentes e sobrevivem em praticamente qualquer ambiente.

Eles são encantadores e baratos para serem adquiridos, sem que demandem muitos esforços de manutenção.

De fato, preferem as temperaturas mais altas, cerca de 24 C° num aquário já está bom para este peixinho.

Ele consegue viver em espaços pequenos, no entanto, o espaço precisa ser suficiente para que consiga mover sua cauda e nadadeiras.

É essencial que o aquário tenha tampa, pois eles são saltadores e podem escapar caso haja uma oportunidade.

Você também precisa se atentar ao local em que deixará o aquário. O ideal é que seja em um canto tranquilo e que não fique diretamente exposto ao sol.

A higienização do aquário deve ser feita a cada 10 à 15 dias para que o ambiente permaneça saudável.

Para a limpeza correta o ideal é que metade da água seja removida com o Peixe, em seguida, seja feita a limpeza do aquário.

Depois é só limpar o recipiente, colocar a água, pingar algumas gotas de produtos próprios para aquário e colocar o Peixe novamente.

Ele é conhecido como Peixe de Briga Siamês

A principal característica desse peixinho é que são extremamente territorialistas.

Tanto que na natureza, em épocas de reprodução (época de grandes chuvas), eles formam um “ninho-bolha” ao redor do território que eles próprios criam e mantêm.

Os machos, quando criados juntos em aquários podem se tornar agressivos, o ideal é que só se tenha um Peixe macho por aquário.

Eles podem muitas vezes rejeitar até mesmo as próprias fêmeas, e caso sejam criados com outros machos, o ideal é que seja com uma espécie tranquila e num aquário bem grande.

as fêmeas tendem a conviver bem no mesmo ambiente, mas isso desde que seja um aquário grande também e não se sintam estressadas.

Entretanto, esses peixinhos são muito inteligentes e podem ser uma verdadeira diversão para as crianças. É bem possível treiná-los, pois eles aprendem rápido e facilmente.

Uma curiosidade sobre eles é que eles fazem certos truques, como se estufar para dobrar de tamanho.

Na natureza eles costumam usar esse truque quando se sentem ameaçados e querem espantar outro Peixe.

O ideal é mantê-los bem alimentados e com espaço para que vivam tranquilamente e sem estresses.

Qual a melhor alimentação para um Peixe Betta?

O Peixe Betta precisa ser alimentado com uma ração de qualidade para evitar ficar constipado, o que pode levá-lo à morte.

Alimentá-lo duas a três vezes por dia já é suficiente, e apesar de serem muito resistentes não é indicado deixá-lo muito tempo sem comida.

Eles também podem ser alimentados com minhocas e insetos que você pode comprar em locais especializados.

Lembrando, que é importante remover constantemente as sobras do aquário para evitar a formação e proliferação de fungos.

Principais doenças que um Peixe Betta pode desenvolver

Em um ambiente saudável, os Bettas são extremamente resistentes e dificilmente ficarão doentes.

A maioria das doenças ocorre quando eles se sentem estressados, pois aí a resistência desse peixinho se quebra.

Quando sua resistência cai, podem surgir bactérias, fungos, protozoários e vírus, resultando em doenças e mortalidade.

Perda de apetite, falta de coloração e o encolhimento das caudas e barbatanas são os primeiros sinais de que a saúde do Betta não vai bem.

Algumas doenças podem surgir no inverno ou quando a temperatura da água cai para menos de 15 C°.

Enfim, vimos aqui que o Peixe Betta é resistente, bonito, entretanto, muito territorialista, o que pode exigir mais cuidados. No entanto, é ótimo como pet!

Saiba mais sobre outros peixes, veja aqui.

Aproveite e nos acompanhe nas redes sociais para saber mais sobre essas fofurinhas: FacebookInstagram e YouTube.

E se você gostou deste texto, então compartilhe agora mesmo no seu Facebook!

Consulte também

Este site usa cookies Ok Mais detalhes

Termos & Política de Privacidade